Disponibilidade de créditos será adotada sem obstáculos

O deputado Lucas Redecker (PSDB/RS), coautor do Projeto de Lei (PL) que almeja doação de créditos, aponta perspectivas positivas em relação à aceitação e possibilidade de permanência da proposta. Assim, hospitais e instituições beneficentes e filantrópicas receberão créditos da geração distribuída (GD) durante o período da pandemia.

O deputado afirmou, em transmissão realizada pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), ter duas prioridades no assunto: a implementação rápida e a possibilidade de continuidade mesmo depois da pandemia. É preciso perceber os efeitos econômicos a longo prazo, completou.

Há uma grande movimentação para efetivar a ideia partindo, além de Redecker, do deputado Franco Cartafina, também coautor do Projeto, envolvendo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A rapidez no processo é a prioridade para que tudo se realize dez dias após a aprovação.

Também recebe atenção a questão de que a medida seja realizada para além de hospitais de referência no combate ao coronavírus. De acordo com Redecker, é importante que exista a doação entre geradores e outras instituições que estejam situadas em diferentes áreas de distribuidoras.

Compensar as diferentes regiões e estados está como centro de importância na fala do deputado, que conta com a adaptação da Aneel e das distribuidoras para concluir os objetivos.

Atualmente, muitas medidas estão em andamento, como o auxílio emergencial e o financiamento para micro e pequenas empresas. Dessa forma, o desenrolar de outros processos influência no tempo para a votação do PL, que já está em caráter de urgência.

O Projeto traz a possibilidade de os hospitais conseguirem comprar equipamentos, como o respirador artificial, já que alivia os cofres públicos com o setor privado doando a energia.

  • Categoria: Notícias
  • Data: 26/06/2020